Número de fusões e aquisições do setor Imobiliário se mantém estável em relação a 2011

20 julho 2012

Com 17 fusões e aquisições de empresas no setor imobiliário, mesmo patamar registrado no primeiro semestre de 2011, o segmento mostrou agora em 2012 estabilidade nesse tipo de comparação. Ao contrário de outras áreas, a presença de estrangeiros não prevaleceu nos negócios imobiliários, se destacando as 11 operações domésticas, feitas entre empresas nacionais. O ranking elaborado pela KPMG inclui 43 segmentos de negócios, que juntos totalizaram 433 operações este ano, 54 a mais que o resultado de igual período em 2011.

Em relação à presença estrangeira, foram anotadas três operações do tipo CB1 (empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de brasileiros, capital de empresa estabelecida no Brasil). As demais transações tiveram protagonismo brasileiro, tendo sido uma do tipo CB2 (empresa de capital majoritário brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no exterior) e duas CB3 (empresa de capital majoritário brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no Brasil).

“O setor Imobiliário ainda se mostra mais atrativo ao capital nacional, enquanto outros segmentos viram a presença estrangeira ser predominante. Do total de 433 fusões e aquisições neste primeiro semestre, 229 tiveram protagonismo de empresas estrangeiras”, explica Luis Motta, sócio-líder de Fusões e Aquisições da KPMG no Brasil e coordenador da pesquisa.

Dados trimestrais
Na comparação trimestral, os meses de abril, maio e junho somados, foram um pouco mais fracos do que os três primeiros meses deste ano, com oito transações, contra nove. Já na comparação com o segundo trimestre de 2011, os números foram melhores, pois naquele período foram registradas apenas seis operações no ramo imobiliário.

A atual edição da Pesquisa de Fusões e Aquisições da KPMG no Brasil considera as operações de fusões e aquisições anunciadas e concluídas entre 1° de janeiro e 30 de junho de 2012. O levantamento é realizado sistematicamente desde 1994.